Marta Maria

Vida, Livro Aberto!

Textos


Morte

Quão estupida ela é, vem sem avisar e leva os entes mais queridos.
Ainda poucas horas antes estava ali arrumando seus negocinhos,fazendo suas compras.
Ia para o sitio, para o seu meio.
Suas coisas queridas, vacas , cavalos, porcos, seu fogãozinho á lenha.
Eis que estupidamente cai na rodoviaria, levam -no para o hospital onde algumas horas depois vem á falecer.
E eu que poucas horas antes havia rezado para ele,era meu hábito .
Agora me encontro perdida,não sei mais rezar,não sei o que fazer.
Penso, estará bem? Ainda vou ve-lo?
Meu irmão querido,quanta afinidade e quanta tristeza me invade o peito.
Tento não pensar,falta-me fé.
Quero crer em alguma coisa,mas não consigo.
O que é a vida após a morte?
Será como nos livros que leio?
Quero ter fé, mas é tudo tão complicado na minha cabeça.
Deus me indique o caminho,me ilumina.
Meu irmão descansa em paz...
marta maria
Enviado por martamaria em 04/07/2013
Alterado em 07/07/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras